Páginas

quarta-feira, 1 de junho de 2011

ÚLTIMO DESTINO: ANKARA, A CAPITAL DA TURQUIA

Ao deixar a Capadócia nos dirigimos ao nosso último destino nessa viagem à Turquia: sua capital Ancara (Ankara, em turco). Localizada no centro da Anatólia, é a segunda maior cidade do país, depois de Istambul, e é um importante centro comercial, industrial e cultural, mas está longe de ser uma cidade turística. Seu antigo nome, Angorá, é a referência da famosa lã produzida na região (lã de Angorá). Atualmente é sede do governo e abriga todas as instituições governamentais do país, assim como as embaixadas estrangeiras.



Na cidade estão as principais Universidades e também uma série de importantes museus. Dentre eles se destacam os dois locais que atraem a maioria dos turistas: o Museu das Civilizações da Anatólia e o Mausoléu de Mustafá Kemal Atatürk, fundador da República turca, o político mais importante da Turquia no século XX.




Visitamos o Museu das Civilizações da Anatólia, muito interessante e bonito, mas não pudemos bater fotos de seu interior. O museu se encontra em dois edifícios que eram locais onde, antigamente, os viajantes podiam se hospedar, reparar as ferraduras dos cavalos e fazer compras. Construídos em 1455 por Mahmut Pasha, no governo do Sultão Mehmet II, o complexo de edifícios foi abandonado após um incêndio em 1881. Atatürk, o fundador da república turca, sugeriu que o local fosse restaurado para abrigar o museu das Civilizações da Anatólia, que tinha sido inaugurado em 1921 e funcionava em outro local. Em 1968 o novo museu foi inaugurado e em 1997 foi escolhido pela Comunidade Européia como o museu do ano. Possui valiosas e interessates peças dos mais distintos períodos e civilizações que viveram na região da Anatólia. Para quem aprecia história e as descobertas arqueológicas, o Museu das Civilizações da Anatólia é um local imperdível. 


No alto de uma colina, podendo ser visto de qualquer parte da cidade de Ankara, eleva-se o ANITKABIR, o mausoléu de Atatürk. No dia em que o visitamos era feriado e por isso  estava lotado de turistas.


Há quatro partes principais no Anitkabir:
- o Caminho dos Leões: uma passarela para pedestres ladeada por doze pares de leões esculpidos em um estilo parecido com os achados arqueológicos hitita. Os leões representam a Anatólia. 




- a Praça Cerimonial projetada para acomodar 15 mil pessoas




- Salão de Honra onde está a tumba de Atatürk


- Parque da Paz, que circunda o monumento e que contém cerca de 50.000 árvores decorativas, flores e arbustos em 104 variedades, doados por cerca de 25 países.


Todas as pedras e mármore utilizados na construção do mausoléu foram trazidos de várias partes da Turquia, para ser uma representação do povo turco. O sarcófago, um túmulo de pedra monolítica pesando 40 toneladas, foi trazido de Adana e mensagens em homenagem a Atatürk também foram grafadas em mármore.


No local está também o túmulo de Ismet Inönü, o segundo presidente da Turquia, e seu túmulo está de frente ao prédio de honra do mausoléu. Também existe um museu que mostra a história e objetos de uso pessoal de Atatürk.


Depois dessa rápida visita nos dirigimos ao aeroporto de Ankara para nosso vôo para Istambul onde, após dois dias de passeios e comprinhas de última hora, pegamos nosso avião de volta para casa. 


Com essa tradicional foto relembro o simpático grupo de viagem à Turquia. Foi uma viagem que deixou boas lembranças e saudades de tudo e de todos.

Para me despedir desta fantástica viagem de 20 dias ao Líbano e Turquia, faço minhas as palavras de José Saramago:

“O fim duma viagem é apenas o começo de outra.
É preciso ver o que não foi visto, ver outra vez o que se viu já, ver na primavera o que já se viu no Verão, ver de dia o que se viu de noite, com sol onde primeiramente a chuva caía, ver a seara verde, o fruto maduro, a pedra que mudou de lugar, a sombra que aqui não estava.
É preciso voltar aos passos que foram dados, para os repetir, e traçar caminhos novos ao lado deles.
É preciso recomeçar a viagem. Sempre.
O viajante volta já.”



4 comentários:

  1. Tem um pedacinho daqui lá no meu blog. Sensacional seu espaço. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Amei. Maravilhoso. Vou sempre a Turquia. Minha filha reside lá. Valeu

    ResponderExcluir
  3. Olá Christina boa noite, estive recentemente na Turquia onde me apaixonei pelo chá de maçã, trouxe algumas caixas mas estão no final, vc conhece aqui no Brasil ou seja mais precisamente em \são Paulo onde posso encontrar para comprar, obrigada aguardo resposta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse chá é realmente muito bom, eu também trouxe. Sei que alguns sites de compra online vendem, procure no Google que vai achar, só não sei se são sites confiáveis por isso não indico aqui. De qualquer forma vale também tentar fazer em casa. Tenho essa receita:
      O modo correto de fazer esse chá é usar as fatias de maçã seca, canela em pau, cravos da Índia e água quente. Você pode usar cerca de 150g de fatias de maçã seca, 1 canela em pau, 2 cravinhos da Índia e 1 litro e meio de água. Ferva a água juntamento com os ingredientes por uns 15/20 minutos em uma chaleira, sirva e adoce a gosto.
      Espero ter ajudado.

      Excluir