Páginas

SULTANAHMED: HAGIA SOFIA E MESQUITA AZUL

O bairro de Sultanahmet é a cara de Istambul com seus minaretes apontando para o céu, e para quem tem pouco tempo de conhecer a cidade, é o melhor bairro para ficar e visitar porque todas as atrações estarão a poucos passos do hotel. 
A região é uma faixa de terra cercada pelo mar por três lados. No bairro encontram-se as principais mesquitas, palácios, museus e diversos monumentos históricos, testemunho de uma herança de dois grandes impérios: o Bizantino e o Otomano

1. Mesquita Azul
2.Basílica de Santa Sofia (Hagia Sofia)
3. Palácio Topkapi
4. Hipódromo
5. Cisternas Yabaretan (Cisternas da Basílica)
6. Museu de Arte Turca e Islâmica
7. Mesquita de Suleymaniye
8. Obelisco de Theodosius
9. Grande Bazar
10. Pequena Santa Sofia
11. Mercado das Especiarias (Mercado Egípcio)
12.Mesquita Nova
13. Mercado de peixe
 
A Praça de Sultanahmed é a área ajardinada no centro do bairro que leva o nome do Sultão Ahmet I. Com banquinhos, florida e ajardinada, é um lugar para sentar e curtir não apenas a paisagem, mas o povo circulando. 


Praça com a Mesquita Azul ao fundo
Esta praça é o símbolo da cidade e é por onde começam todos os roteiros turísticos.

A praça com a Hagia Sofia ao fundo

A praça é tão grandiosa como os monumentos que nela estão. Os dois principais monumentos históricos da cidade, Haghia Sophia e a Mesquita Azulficam frente a frente nesta praça. Para visualizar toda sua beleza só mesmo uma foto aérea pesquisada na internet.

Mesquita Azul em primeiro plano e Hagia Sofia ao fundo
Como é um dos principais pontos turísticos da cidade essa praça é muito movimentada, turistas do mundo todo chegam a todo momento, e a sensação é de estarmos numa "torre de Babel" tal o emaranhado de línguas e culturas diferentes. 


E onde tem turista tem vendedor de tudo e mais um pouco! Essa é uma das coisas chatas de se visitar lugares como esse: os vendedores te cercam o tempo todo tentando empurrar suas mercadorias, e são muito rápidos em perceber de onde você é. Muitos arriscam palavras em português, mas o idioma utilizado é mesmo o inglês. 
E dentre as mercadorias vendidas na praça achei esse pirulito super diferente e com nome complicado: tarihi osmanli macunh. Nossa! 


Fiquei até com vontade de provar mas dispensei, porque quebrar um dente estava fora de qualquer risco a correr. Muito legal o jeito que ele é feito porque ele vai enrolando cada sabor separadamente e finaliza com um toque de limão. Veja no vídeo.


Mas o que mais gostei de comprar em Sultanahmed foi o suco de romã que nunca tinha tomado. Que delícia! Quando vi as romãs turcas pela primeira vez fiquei encantada, nunca tinha visto uma romã tão grande e tão linda! 

 Olha isso!
 E como é doce!
São ótimas para comer e os vendedores deixam você experimentar a vontade, mas o suco é o mais gostoso e especial!

Mas vamos deixar de lado a gulodice e falar das principais atrações de Sultanahmed.

Basílica deSanta Sofía ou Hagia Sofia  Ayasofya (em turco)


Considerada um dos principais monumentos de Istambul, a Basílica de Santa Sofia ou Hagia Sofia, cujo nome significa “santa sabedoria”, é uma obra prima da arquitetura bizantina e por alguns é também considerada a oitava maravilha do mundo, pois além de ser belíssima, é o único edifício do século VI que ainda está de pé. Ela funcionou 916 anos como igreja e 481 anos como mesquita, e atualmente é um museu.



   Sua grandiosidade impressiona!



A construção começou durante o reinado de Constantino I (em 324) e terminou durante o reinado de Cosntantino II (em 360). As obras custaram uma fortuna equivalente a 18 mil quilos de ouro, executada por milhares de operários que instalaram, durante seis anos, vários tipos de mármores de diversas procedências nas colunas magníficas e em todo o edifício, além de paredes cobertas de mosaicos de ouro e muitas obras de arte. 


Quando foi concluída  Santa Sofia tornou-se a mais importante igreja cristã do Império Romano até 1453, quando foi convertida em mesquita pelos otomanos.




Desde que foi usada como mesquita as estruturas tipicamente islâmicas foram agregadas, como os minaretes que se vê externamente e outras estruturas internas.


Foram instalados painéis com inscrições árabes do Corão, inclusive os medalhões de 7 metros e meio de diâmetro, colocados no reinado do Sultão Abdulmecid, os quais contêm inscrições com as palavras: "Allah', "Muhammed', e os nomes do primeiro califa e se de seus filhos Hasan e Huseyin.


Assim, com a transformação de basílica em mesquita há elementos impensáveis numa igreja católica. Somente lá é possível ver lado a lado a imagem da Virgem Maria pintada no altar com escritos muçulmanos de Alá e Maomé, e ainda ver um mihrab ( balcão para o sultão), um minbar (espécie de púlpito), um muezzin mahfili (a plataforma em mármore para o muezin ler o Corão), as maqsuras (umas plataformas feitas ao redor de pilares e junto de paredes para que os mais idosos pudessem se sentar e orar); a fonte de ablução (sadirvan), lugar onde os muçulmanos lavam-se ritualmente antes de entrarem nas mesquitas para iniciarem suas orações.

Fonte de ablução



CURIOSIDADE: O que é ablução?
Ablução (do latim ablutio, "lavagem") é um rito presente em muitas religiões, muito especialmente nas religiões primitivas, no judaísmo e no Islamismo. A ablução é um rito de purificação, com símbolos, atos e significados variados. As abluções rituais primitivas nasceram das purificações necessárias após a contaminação proveniente do contato com os cadáveres, das relações sexuais, do parto, da menstruação, etc. Em outras situações relacionam-se a ritos de preparação para o sacrifício. As abluções são feitas com água, areia ou sangue. No islamismoentre outras condições prévias necessárias às orações, está a purificação do corpo através da ablução, ou do banho, já que o corpo deve estar sem vestígios de impurezas. No ritual de purificação dos muçulmanos lava-se as orelhas, rosto, mãos, antebraços e pés. Mesquitas grandes, geralmente, têm banheiros reservados para esta finalidade, com uma grande fonte central  no pátio circundada por bancos pequenos. É claro que homens e mulheres realizam a purificação separadamente. 


Santa Sofia impressiona pela sua arquitetura e os seus mosaicos dourados.
Mosaicos no topo da porta e ornamentação do teto

Quando os turcos conquistaram Constantinopla e a igreja foi transformada numa Mesquita, todas suas imagens foram cobertas com gesso. Em 1935 foi transformada em museu , quando também começaram as restaurações para expor novamente as imagens cobertas.


E na saída após a visitação, passa-se por muitos locais agradáveis, com muitas "banquinhas" onde se pode comprar lembrancinhas do local


A Mesquita Azul ou Mesquita do Sultão Ahmed (Sultanahmet Camii)



A Mesquita Azul foi uma tentativa, quase mil anos mais tarde, de criar um templo islâmico tão impressionante quanto a Hagia Sofia. É uma visita imperdível em Istambul, e foi construída durante o império otomano a pedido do Sultão Ahmed I.



A Mesquita Azul, uma das mais bonitas do mundo, é a única a ter seis minaretes em toda Turquia. O apelido da Mesquita Azul veio dos belíssimos mosaicos cerâmicos de Izmir, azuis em diversos tons, que decoram com muita beleza o interior da mesquita.
Porta para o pátio interno
Pátio interno e a fonte de ablução

Porta de entrada

De fora ela impressiona com suas cúpulas de diferentes tamanhos, projetadas e construídas em cascata umas sobre as outras, mas não se tem idéia do que o espera ao conhecê-la por dentro.


 A luz natural entra pelas 260 janelas de suas 36 cúpulas e ilumina os mais de 20 mil azulejos. 



O tom azul predomina com equilíbrio entre as outras cores. Os azulejos, vitrais e uma iluminação especial à noite, fazem da Mesquita Azul uma das edificações mais bonitas e famosas do mundo.


Além de templo de oração para os muçulmanos, uma mesquita é talvez o símbolo máximo do islã. Como é um  local de oração seu acesso é controlado, não sendo permitida a entrada de turistas durante os cinco horários de oração do dia. Deve-se manter  silêncio mesmo fora desses horários pois sempre tem gente orando. 





CURIOSIDADE: A oração Islâmica é um conjunto de atos e atitudes em que o muçulmano alcança diversos benefícios na parte espiritual e física, através da prática de 5 orações diárias durante as quais exerce sua fé e demonstra sua gratidão a Deus por Suas graças. Embora a oração seja aceita por Deus em qualquer lugar, em casa, local de trabalho, etc., Deus orientou para que os muçulmanos construíssem mesquitas a fim que as orações fossem feitas em grupos, já que alinhados em fileiras e lado a lado, estimula-se o convívio e, portanto, a igualdade entre os que estão orando diante de Deus, e também para reforçar que não deve haver diferenças sociais, raciais, tampouco nem privilégios do governante para o governado (e a discriminação feita às mulheres? bem esse é um dos muitos pontos difíceis de entendermos...)
Entre outras condições prévias necessárias às orações, está a purificação do corpo através da ablução, ou do banho, já que o corpo deve estar sem vestígios de impurezas. A oração então é precedida de abluções, ou wudu, que consistem em lavar as mãos, os antebraços, a boca, as narinas, a face, em passar água pelas orelhas, pela nuca, pelo cabelo e pelos pés. Se um muçulmano se encontrar numa área sem água ou numa área onde o uso da água é contaminada, pode substituir as abluções pelo uso simbólico de areia ou terra (tayammum).
A oração abre-se com a orientação do fiel na direção de Meca (qibla).Salat é a oração, que deve ser efetuada cinco vezes por dia em períodos definidos. Esses períodos não correspondem a horas, mas a etapas do curso do Sol. A primeira oração deve ser realizada antes do sol nascer (fajr), a segunda ao meio-dia (zuhr), a terceira no momento médio entre o meio-dia e o pôr-do-sol (asr), a quarta ao pôr-do-sol (maghrib) e a última entre o pôr-do-sol e a meia-noite (isha).




O salão das orações (musalla) não possui mobiliário para permitir maior número de fiéis. No interior de uma mesquita não há imagens de pessoas, animais ou figuras religiosas, porque o islã considera que o muçulmano deve concentrar seu respeito e adoração apenas a  Deus. É um espaço amplo que não tem cadeiras ou bancos, apenas fileiras de tapetes. Os tapetes, por sua vez, são alinhados em direção à cidade de Meca, na Arábia Saudita, considerada santa pelos muçulmanos. 


Ao entrar em uma mesquita, é costume tirar os sapatos e colocá-los na prateleira na entrada ao lado da porta ou em sacolas plásticas para serem levados na mão. Isso é feito não apenas por respeito, mas para evitar sujar o piso do salão de orações. As mulheres também devem cobrir a cabeça com um lenço, assim como os ombros, se estiverem descobertos e as pernas, se estiverem de shorts ou saia curta.


A lei islâmica (charia) estabelece que homens e as mulheres devem ocupar posições separadas no salão das orações. As mulheres devem ficar atrás dos homens em local reservado, em geral uma área atrás de uma cortina ou biombo, mas onde elas possam ver o imam (líder espiritual islâmico) sem atrapalhar a concentração e oração dos homens.   


Oitenta anos após a morte de Maomé surgiram os primeiros minaretes com mais de 50 metros de altura, quando a religião muçulmana se expandiu pelo Oriente Médio e devido à influência da arquitetura bizantina com as suas igrejas com torres. O muezim (Mu‘adhdhin) é o encarregado de anunciar em voz alta, do alto dos minaretes o momento das cinco preces diárias. Ele não é uma pessoa sagrada, mas um servidor da mesquita e sua função pode ser exercida por qualquer pessoa. Hoje em dia, o muezim fala por alto-falantes ou, em alguns casos, é apenas uma gravação. O chamamento consiste em proferir a frase Allah hu Akbar (Alá é grande), seguida da chahada, a "profissão de fé" islâmica através da qual se atesta que "não há outro Deus para além de Alá e Muhammad é o seu profeta". Esse chamamento (adhan) é entoado de forma melodiosa, e é muito interessante e bonito de se ouvir. O vídeo com o chamamento foi gravado numa rua da cidade.



Fontes históricas constataram que o Sultão Ahmed I era muito religioso, e o seu desejo de construir essa mesquita baseava-se num verso do Corão que diz: "Quem constrói uma mesquita para Deus, mesmo pequena como um ninho de pássaros, será recompensado com uma casa no Céu".  Se depender da grandiosidade da obra, após ter construído essa maravilha de monumento que é a Mesquita Azul, o Sultão deve ter conseguido seu castelo na eternidade!








8 comentários:

  1. Gostei muito do texto acima. Descreveu com maestria a linda cidade da Turquia.

    ResponderExcluir
  2. Estou pensando em ir a Turquia o ano que vem e gostei muito do seu blog.

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito de seus comentários. Vou viajar para Istambul no próximo mês e seu texto me ajudou muito a ter uma ideia do que visitar. Além disso as fotos são lindas. Obrigada!!!

    ResponderExcluir
  4. Oi tudo bem ? Vc não falou do mercado turco é barato ? Compra jóias pela medademdo preço ? Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu falo sobre os mercados em outro post (Grande Bazar e Bazar das Especiarias). Nesses locais se encontra de tudo: comida, bebida, roupas, artigos de couro, tapetes, louças, luminárias, todo tipo de lembrancinhas, e também jóias. É mais barato que no Brasil, mas as jóias não chegam a valer a metade do preço. Como todo lugar tem de tomar cuidado para não comprar coisas falsificadas (tem muita falsificação por lá, principalmente roupas de marca).

      Excluir
  5. Eu e esposa iremos à Istambul no inicio de Ago/13, e suas informações foram valiosas para nós. Obrigado por compartilhar conosco.
    Getulio Jucá
    Recife-Pe.
    02/07/13

    ResponderExcluir
  6. Ellen Bentina Mohr24 de julho de 2014 08:32

    Oi Christina! Fiquei em dúvida quanto a compra do bilhete de acesso a Hagia Sofia, por exemplo. Compra-se na hora somente? Os principais pontos turísticos paga-se para entrar ou como funciona? Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ellen, não tem outro jeito de comprar os ingressos, você irá comprar sempre no próprio local sem problemas, mas saiba que vai perder um certo tempo em filas. Um jeito de economizar tempo é se você for realizar a visita através de uma agência pois eles já terão os ingressos em mãos, ou se você tiver direito de pegar a fila prioritária e aí sim irá bem rápido (por deficiência ou idade). De qualquer forma as atrações são imperdíveis, então paciência para enfrentar milhares de turistas nesses locais.
      O centro histórico de Sultanahmed é o mais cheio de turistas, então para tentar otimizar o seu tempo chegue cedo e comece com a Mesquita Azul (diariamente às 9:00hs), cujo acesso é gratuito e só vai enfrentar a fila para entrar. Atravesse a praça de Sultanahmed e visite a Hagia Sofia (fecha 2a. feira), cujo ingresso custa por volta de 25 liras turcas. Aí serão 2 filas: uma para comprar o ingresso e outra para entrar. Depois vá até a Cisterna da Basílica, bem em frente à Hagia Sofia, cujo ingresso custa por volta de 10 liras (novamente 2 filas). Nesta última a visita será rápida, não vai gastar mais de 30 minutos lá dentro. Só depois de sair você deve então conhecer a área onde está o Hipódromo/Coluna Serpentina, etc., pois é uma área ao ar livre sem ingressos e a essa altura a maior parte dos grupos de turismo já saíram de lá. (é o primeiro local a ser visitado pelas agências)
      Saindo dali poderá ir à pé mesmo (ou de trem de superfície é apenas 1 estação) ao Palacio Topkapi, novamente 2 filas, mas como são várias para compra do ingresso é mais rápido, também por volta de 25 liras. Como vai demorar bastante tempo no Palácio programe-se para almoçar antes de entrar ou lá mesmo. Existe um restaurante no próprio Palácio (no final da visita você passará por perto), um lugar muito agradável à beira do Bósforo: na primeira vez que fui eu adorei, mas o ano passado quando voltei não gostei muito, estava muito cheio e desorganizado, mas vale a pena dar uma olhada, quem sabe...Se quiser conhecer o Harém do palácio terá de comprar um ingresso a parte (não lembro o valor), mas é interessante, vá se tiver tempo.
      Essas são as principais atrações de Sultanahmed (existem outras, como museus), mas provavelmente vai gastar boa parte do dia explorando esses locais. Se sobrar tempo pegue o trem e termine o dia no Bazar das Especiarias que é próximo, na estação Eminonu, e se quiser jante nas proximidades. Veja o post onde falo sobre isso.
      Enfim, um dia de filas, muitos turistas, mas grandes atrações. Assim é Istambul!
      Boa viagem e aproveite!

      Excluir